segunda-feira, 22 de agosto de 2011

CORRER RISCOS


Rir é correr risco de parecer tolo.
Chorar é correr o  risco de parecer sentimental.
Estender a mão é correr o risco de se envolver.
Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu.
Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas.
Amar é correr o risco de não ser correspondido.
Viver é correr o risco de morrer.
Confiar é correr o risco de se decepcionar.
Tentar é correr o risco de fracassar.
Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada.
Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada.
Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem.
Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade.

Somente a pessoa que corre riscos é livre!

quinta-feira, 10 de março de 2011

O que você faz em OFF?




Privacidade é simplesmente tudo, eu quando estou sozinha (raramente) nossa extravasso mesmo, assisto de tudo, leio livro, danço e canto as coisas mais idiotas, escrevo, recito, crio, inovo, choro é realmente maravilhoso ter momentos em que se pode fazer tudo o que se tem vontade, mais que nem sempre se pode fazer. Da uma de louca e desligar o telefone, deletar, rasgar, esqueçer coisas banais, "coisas que eu amo ^^".
 Ficar sozinha na sua, as vezes fundamentais, se esconder do mundo, de tudo fica em casa, (um porto seguro) minha casa é minha proteção, porta fechada a chave tem que está na mão, não ouvir nada, não falar nada, pensando, só eu e meus pensamentos; pensamentos loucos, espirito livre, liberdade sem limite essa não existe, tem horas q o mundo deveria sumir ou a vida poderia ser facil tem um botão para se transportar, no infinito do impossivel, sei lá, vida em OFF já não é mais possivel!